Vou ali como Napoleão, desbravar um novo canto!

Tu é força em meio ao desequilíbrio, tu precisa ser paz, não se arme de coisas ruins, respire, inspire, sinta, filtre energias positivas e se regenere, se desconecte do que te prende, diminua a bagagem, quem parte com pouca mala tem mais oportunidades de voltar com novidades.

Tenha espaço, de espaço, se permita ser o desconhecido, nem todos precisam saber de você ou assim você de todos, se sabe, esqueça, como eu disse, muitas bagagens apenas atrasam…

Comece hoje, um verdadeiro expectador vê através, veja através de varias ângulos:

O por do sol é o mesmo, mas em cada lugar ele tem um brilho diferente, deve ser por isso que amo mudar, preciso deixar novas pegadas, estou pronta para conquistar outras bagagens, então tenho mais, mais uma viagem para ir, sem medo, uma aventura que aos vinte e tantos ou quase trinta, eu já percebo, tantas roupas, tanto do que não preciso, por isso, vou ali como Napoleão veio aqui, vou desbravar um canto, um canto novo vou inventar e chamar de minha melodia, quem sabe vira, como vira a roda gigante…

Que sintonia, quem sabe quando ela parar de rodar, quem ficar lá em cima possa ler um trecho de raios e beleza, no mesmo banco do topo na roda gigante você talvez possa presenciar um novo/velho por sol num espetáculo da natureza.